Ultimas Notícias
Guarapuava: Desacato e Imprudência do “TENENTE” que não era “TENENTE”

Após denúncias via 190, uma equipe policial deslocou até uma residência situada na rua Domingos Marcondes, bairro Santana, em Guarapuava, na tarde desse sábado (27 de março), para prestar atendimento a um homem que estaria dirigindo uma caminhonete de cor preta, em ziguezague pela via, embriagado, e teria mostrado aos pedestres, que não se identificaram, uma arma de fogo, posteriormente fugiu para sua residência, em consulta via COPOM foi constatado que a caminhonete estava com alerta de furto/roubo no sistema SESP.

As equipes chegaram no local e entraram, pois o portão de entrada da residência estava aberto e foi visualizada a caminhonete relatada na denúncia e nas proximidades do pátio, onde o veículo estava estacionado. Haviam também dois homens e de imediato foi dado voz de abordagem, porém, a pessoa posteriormente identificada como sendo um homem, de 57 anos, o qual aparentava visíveis sinais de embriaguez como forte odor etílico, fala desconexa, vestes desalinhadas, olhos vermelhos, e dificuldade de equilíbrio, sendo que não acatou as ordens desobedecendo a equipe policial e somente após várias verbalizações foi possível a revista pessoal diante da fundada suspeição de porte de arma de fogo, não sendo logrado êxito em localizar a arma pelas equipes.

O outro homem foi identificado como sendo um homem, de 60 anos. Ao serem questionados sobre o alerta de furto da caminhonete, o homem, de 57 anos, apresentou-se como o responsável e aos gritos falou que o veículo estava em nome de sua filha e que já havia tentado retirar o alerta, porém não obteve sucesso.

Segundo a polícia, o homem começou, aos gritos estridentes e com o dedo apontando no rosto dos policiais, proferir diversos desacatos a equipe policial, ridicularizando a instituição Polícia Militar, e dizendo para um dos policiais “você é um incompetente, seu canalha, policiais de merda, você coloque-se no seu lugar seu Subtenente eu sou superior a você”.

Também relatou por diversas vezes que era tenente do exército e que por ser tenente não poderia ser abordado e sua caminhonete mesmo estando com alerta de furto não poderia ser levada para ser apresentada a autoridade policial na delegacia de Polícia Civil. Ao ser questionado sobre sua identificação militar, o homem informou que era reservista tendo servido no serviço militar obrigatório (temporário), porém não apresentou a documentação, pois o serviço militar obrigatório não gera prerrogativas legais para as quais o abordado tentou dissuadir o serviço policial.

O homem continuou com os desacatos enquanto a equipe verificava sua identidade via COPOM, dizendo que “soldado, você é um canalha”, ameaçou os policias dizendo “se eu estivesse armado eu teria matado todos vocês”, “eu conheço vários políticos e autoridades e vou transferir todos vocês para uma cidade longe daqui”. Ele foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil, para lavratura da documentação pertinente, sendo conduzido no banco traseiro da viatura sem o uso de algemas, e o veículo foi conduzido até a delegacia para ser apresentado a autoridade policial em virtude de apresentar alerta de furto no sistema.

Em contato com o Tenente do 26º GAC (Exército), este repassou que o homem não era tenente daquela instituição. O autor foi encaminhado até o 16º BPM para confecção do termo circunstanciado.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

%d blogueiros gostam disto: